A nossa Rede esteve presente na I Reunião Regional de Usuários de Serviços de Saúde Mental e Familiares, realizada de 15 a 17 de outubro, em Brasília na Sede da Organização Pan-americana de Saúde levando as propostas e reivindicações aprovados em nosso Seminário, em destaque, a necessidade de se consolidar uma política pública de apoio e fomento ao cooperativismo social.

Estiveram presentes os seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, EUA, México, Paraguai, Peru, Honduras, El Salvador, Panamá, Costa Rica, Jamaica, Republica Dominicana, Barbados, Belize e Suriname.

Esteve presente o Ministério da Saúde e a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República.

Nossa REDE participou através, da Lucia, de uma Mesa sobre experiências de organização de associações e redes de usuários e familiares na luta por garantir direitos sociais e econômicos. Lucia destacou que nossa Rede já realizou diversos cursos de formação e feiras e que tem lutado por conseguir consolidar uma política pública de apoio e fomento aos empreendimentos solidários. Foi enfática em dizer que os usuários precisam ter garantido seu direito constitucional, de Direito ao Trabalho.

A Rede esteve representada na Comissão de Redação do Consenso de Brasília (que em breve será publicado) que teve como seus eixos centrais: Fim das estruturas manicomiais, aumento e qualificação da Rede Substitutiva de base comunitária/territorial e o Direito a Cidade, em igualdade de condições – Direito ao Trabalho, Cultura, Educação, Transporte e Habitação. Importante salientar, que essa Resolução da OPAS – Consenso de Brasília – deu importante destaque para a necessidade de avançarmos com os direitos de cidadania, nossa Rede apresentou a importância do apoio as associações de usuários e familiares, bem como, aos empreendimentos solidários e cooperativismo social. A Economia Solidária entrou como estratégia central para a garantia do Direito ao Trabalho.